Black Hat SEO: tudo que você precisa saber!

Postado em 16 de julho de 2021 por Agência WEBI na categoria Blog

Tempo de Leitura:
Quantidade de palavras:

 

Você também pode ouvir este post através do player acima!

 

Se tem um assunto sobre o qual nós entendemos tudo aqui na WEBi, este é o SEO. Afinal, como especialistas em inbound marketing, o conhecimento profundo a respeito de Search Engine Optimization é indispensável. Sem entendê-lo e aplicá-lo, é pouco provável que se conquiste um bom posicionamento orgânico.

E, como você deve saber, SEO é um assunto extenso, com diversas particularidades e questões menores que podem fazer toda a diferença. Um dos “braços” do Search Engine Optimization é o Black Hat SEO — muito conhecido entre os profissionais da área.

Mas você sabe o que é isso? Já ouviu falar? Se quer apostar no inbound marketing e ver sua empresa em posições cada vez melhores nos resultados de buscas do Google, é essencial que conheça pelo menos um pouco sobre isso.

Por outro lado, caso não faça nem ideia do que estamos falando, não há motivos para se preocupar. Neste texto, a WEBi te conta tudo que você precisa saber! Vamos explicar o que é Black Hat SEO, mostrar por que é importante não fazê-lo, listar algumas das técnicas tidas como Black Hat e, por fim, ainda falar sobre o jeito certo de fazer SEO.

Confira o restante do texto e aprenda!

 

O que é Black Hat SEO?

Mesmo que nunca tenha ouvido falar nele, você já deve ter entendido que Black Hat SEO é algo ruim, certo? Basicamente, qualquer técnica que tenha como objetivo “enganar” o algoritmo do Google para fazer com que um site apareça nas primeiras posições rapidamente é considerada Black Hat.

É provável que você já tenha entrado em alguma página na internet e visto a mesma palavra ou frase repetida incontáveis vezes. Essa é uma técnica de Black Hat SEO conhecida como keyword stuffing. Como a palavra-chave é um dos fatores de rankeamento mais importantes para o Google, muitos tentam se aproveitar disso.

E por que isso é ruim? Porque as técnicas de Black Hat pensam exclusivamente no algoritmo, enquanto o SEO deve ser uma combinação — considerando também a experiência positiva do usuário. Em suas últimas atualizações, inclusive, o Google passou a considerar cada vez mais o quão boa a página é para quem acessa.

 

Por que é importante não fazê-lo?

Mesmo sabendo que o Black Hat SEO não é uma prática recomendada, há quem se sinta atraído pela possibilidade de crescimento praticamente instantâneo. Mas não se engane; os resultados a curto prazo até podem vir, mas eles se perdem com a mesma velocidade.

Isso porque, quando o Google surgiu, não foram poucos os desenvolvedores que se aproveitaram de técnicas do tipo. Afinal, se você descobrisse uma forma rápida e eficaz de aparecer entre os primeiros resultados, você também faria, certo?

Com o passar dos anos, porém, vieram atualizações e aprimoramentos do algoritmo. Ele começou a identificar essas técnicas maliciosas e o conceito de Black Hat SEO se difundiu. Foi com isso que a maioria dos profissionais da área abandonou esse tipo de estratégia e passou a focar no que realmente importa: o usuário.

Mas por quê? Porque, começando a identificar, o Google passou a punir. Até os dias de hoje, sites que forem flagrados usando Black Hat sofrem graves punições, desde queda de posições até mesmo banimento da plataforma.

 

3 exemplos de técnicas de Black Hat SEO

Nós já falamos sobre keyword stuffing, uma das técnicas de Black Hat mais comuns. Veja, agora, outras 3 técnicas utilizadas:

 

1. Conteúdo oculto

Quando as técnicas de Black Hat SEO começaram a ser utilizadas, uma das mais comuns era a do conteúdo oculto. Ela consiste em encher a página com palavras-chave e links que façam com que a página tenha melhores posições, mas, diferente do keyword stuffing, elas ficam escondidas do usuário.

Teoricamente, a estratégia é melhor — pois engana o algoritmo sem prejudicar a experiência do usuário.

O conteúdo pode ser escondido de algumas formas, sendo as mais comuns deixá-lo com a mesma cor do fundo da página e reduzir a fonte para o tamanho 0.

 

2. Cloaking

O objetivo do cloaking é praticamente o mesmo do conteúdo oculto: mostrar uma página para o usuário e outra completamente diferente para o algoritmo. A diferença é que, aqui, o método é bem mais complexo.

Traduzido, o termo cloaking significa camuflagem. E é exatamente isso que é feito. Através do uso da tag user-agent, o desenvolvedor consegue mostrar páginas diferentes, fazendo com que somente o algoritmo veja a página com as configurações de SEO.

 

3. Linkfarm

Mais uma vez, basta traduzir para entender do que estamos falando. O linkfarm funciona como uma fazenda de links, com diversos sites participando — um gerando links para o outro.

Não demorou para que especialistas da área descobrissem que os links são um dos fatores de rankeamento mais importantes para o Google. E foi isso que fez com que o linkfarm fosse tão comum.

Apesar de parecer menos óbvio que os anteriores, é relativamente fácil identificar um site que participa de algum linkfarm. Na maioria dos casos, os links, que são inseridos em palavras-chave no meio do texto, levam até sites que não têm nada a ver com a página de origem — o que não apenas é inútil, como incômodo para o usuário.

Lembrete: nenhuma dessas técnicas deve ser utilizada; elas podem trazer graves punições para o seu site. Além disso, o algoritmo do Google já aprendeu a identificá-las, o que facilita a aplicação das penalidades.

 

E qual é o jeito certo?

Se as técnicas de Black Hat SEO não devem ser utilizadas, você deve estar se perguntando qual é o jeito certo de rankear. Basicamente, tudo aquilo que nós sempre defendemos em nossos textos — e que sempre usamos para nossos clientes.

Um fato extremamente importante sobre SEO que muitos não entendem é o tempo que ele exige. Estratégias de rankeamento orgânico no Google não ocorrem da noite para o dia. É preciso de um trabalho constante e de qualidade, plantando sementes agora para colher os resultados no futuro.

A melhor forma de conquistar as posições privilegiadas que você tanto deseja para o seu site é produzir conteúdo pensando no usuário. Aplicando as técnicas já conhecidas, como uso de palavras-chave e sinônimos, divisão com subtítulos e inserção de links relevantes e coerentes, você é capaz de produzir um material de qualidade que satisfaça tanto o algoritmo quanto seu cliente em potencial.

Isso tudo, é claro, em um site bem desenvolvido, também aplicando as diversas técnicas de SEO necessárias.

 

A importância de um profissional para o seu SEO

O White Hat SEO (o nome que damos para as técnicas recomendadas, se opondo ao Black Hat) vai muito além das ações que acabamos de citar. Afinal, estamos falando de um trabalho longo e complexo, que apenas um profissional altamente qualificado é capaz de colocar em prática da melhor forma possível.

E é exatamente por isso que sua empresa deve contar com um (ou vários) profissionais do tipo. Para garantir que as técnicas aplicadas sejam as melhores e que os resultados venham.

Caso esteja buscando estes profissionais, saiba que você pode contar com a WEBi! Nós temos mais de 20 anos de mercado e já conquistamos resultados incríveis para dezenas de clientes. Entre em contato conosco para saber mais!