Google Shopping: o que é, como funciona e vantagens

Postado em 8 de julho de 2020 por Agência WEBI na categoria Blog

Tempo de Leitura:
Quantidade de palavras:

 

Você também pode ouvir este post através do player acima!

 

O Google, como responsável pela principal ferramenta de buscas da internet e entre as maiores empresas do mundo, está sempre buscando oferecer novos produtos e serviços a seus usuários. Os dias em que ele era apenas um buscador já se passaram. Hoje, temos também outras funcionalidades, como o Google Meu Negócio, o Gmail, o Android, o Google Ads, o YouTube e, é claro, o Google Shopping — assunto deste texto.

Se você é dono da sua própria empresa, e principalmente se trabalha com vendas online, é possível que já tenha ouvido falar no Google Shopping. Isso porque ele é uma das melhores ferramentas para este tipo de venda. No ar desde 2011, ele foi desenvolvido e lançado com o objetivo de encurtar as buscas dos usuários por produtos — mostrando-os logo de cara.

Na sequência do texto, a Agência WEBi te conta um pouco mais a respeito do serviço; além de mostrar como ele é bom não só para o usuário, mas também para as empresas. Iremos explicar o que é o Google Shopping, mostrar como ele funciona, listar suas vantagens e, por fim, ensinar a usá-lo.

Continue a leitura e confira!

 

O que é o Google Shopping e como ele funciona

Todo o conceito que levou à criação do Google Shopping é bem simples: ter uma espécie de vitrine virtual na própria página de pesquisas do Google. Quando um usuário busca por um produto qualquer, é o Google Shopping que mostra as principais opções de grande sites em uma lista horizontal com nome, foto e preço. Na imagem abaixo, nós pesquisamos por “computador”, e o resultado foi o seguinte:

 

pesquisa google shopping 1

 

Os produtos mostrados são de grandes empresas, como o Magazine Luiza, a Amazon e as Lojas Americanas. O fato de os resultados do Google Shopping serem povoados por essas empresas indica uma coisa: assim como acontece no Google Ads, você precisa pagar para aparecer ali. Não à toa, no canto superior direito é possível ler a palavra “patrocinado”, que também é exibida em todos os outros anúncios do Google.

Um fato curioso a respeito disso é que nem sempre o serviço foi assim. Quando lançado, o Google Shopping também tinha uma modalidade gratuita. Contudo, percebendo o potencial do serviço que criou, o Google retirou a opção e deixou apenas o modo pago — do mesmo modo que o “irmão” Ads. 

Ainda que sejam similares e tenham objetivos parecidos, é preciso ressaltar que o Ads e o Shopping são serviços diferentes. Falamos melhor sobre as diferenças mais abaixo.

 

Vantagens do Google Shopping para empresas

As vantagens que o Google Shopping traz para os usuários são muito claras: ele aumenta consideravelmente a facilidade para encontrar, escolher e, posteriormente, adquirir produtos na internet. Em um mundo rápido, no qual os usuários querem os resultados da forma mais ágil possível, esse benefício significa muito.

Mas não são apenas os usuários que se beneficiam de todas as funcionalidades do Google Shopping. Afinal, se as empresas têm que pagar para estarem ali, as vantagens devem ser muito claras e únicas. 

A primeira — e principal — é que você irá aparecer antes de alguns dos concorrentes. Seus produtos só aparecerão atrás de quem pagar mais. Uma dica aqui é tentar utilizar palavras-chave mais específicas para tentar superar os gigantes do varejo, visto que eles possuem muito mais poder de compra e podem pagar mais para aparecer primeiro nos resultados de palavras como “computador”. 

Quando pesquisamos “computador lenovo”, por exemplo, os resultados já variam um pouco, fugindo do tradicional Magazine Luiza, Amazon e Lojas Americanas. Como você pode ver na imagem abaixo, temos também um produto do site KaBuM!

 

pesquisa google shopping 2

 

Outra vantagem é a presença das imagens. Enquanto os anúncios inseridos no Google Ads são somente textuais, o Google Shopping mostra fotos dos produtos. Isso serve como um tipo de gatilho — aumentando a probabilidade de o usuário clicar no produto, gerar tráfego para o seu site e, ultimamente, fechar a compra.

Por fim, mais um benefício que o Google Shopping traz para as empresas é a qualificação de leads. Ao simplesmente pesquisar um produto genérico e parar no seu site, o usuário é somente um curioso. Por outro lado, quando o usuário busca por um produto específico e chega no seu site (caso você siga a dica que acabamos de dar), ele já é um lead muito mais qualificado, e as chances da compra ser efetivada são muito maiores.

 

Como começar a usá-lo

Agora que você já conhece o Google Shopping, sabe para que ele serve e como funciona e tem consciência de todas as suas vantagens, é provável que queira usá-lo para alavancar suas vendas na internet, não? E pensando em ajudar nesse processo de começar a usá-lo, a WEBi vai além e mostra como.

Para inserir seu catálogo no Google Shopping, basta entrar no Merchant Center e seguir os passos recomendados pelo próprio Google. A página inicial do link mostra as possibilidades que o Merchant Center oferece. Para começar a seguir os passos e incluir seus produtos, é só clicar em “Primeiros passos”, no botão no canto superior direito.

Ainda que, a partir daí, o Google praticamente dê todas as instruções que você precisa, há um detalhe que deve ser destacado: o formato em que seus produtos devem ser enviados. Existe todo um formato codificado, da mesma maneira que em um documento XML, que deve servir como base.

Felizmente, tudo isso também é explicado pelo próprio Google. Em sua seção de suporte, o Google tem uma página inteiramente dedicada ao que chama de “Especificação dos dados do produto”. Você pode acessá-la e começar a usar o serviço aqui.

 

Google Shopping x Google Ads

Ainda que tenhamos explicado que o Google Shopping e o Google Ads são diferentes e até citado a principal diferença entre eles, nunca é demais reforçar — para que você saiba bem as particularidades de cada um e não os confunda. 

Basicamente, o Google Shopping é uma vitrine, com imagens e informações de um produto. O Google Ads, por sua vez, é mais amplo. Ele tem diversos formatos, sendo o textual um dos mais comuns. Contudo, as famosas campanhas de remarketing feitas pelo Ads também podem ter imagens.

Outra diferença é que o Shopping é dedicado especialmente aos produtos. O Ads permite, além disso, que o link utilizado leve para a página inicial do seu site.

Na imagem abaixo nós mostramos uma diferenciação prática entre resultados dos dois:

 

google shopping x google ads

 

Vale reforçar aqui que, mesmo sendo bem diferentes, ambas apresentam ótimos resultados. Basta definir quais são seus objetivos para entender qual é a melhor estratégia a ser usada em determinado caso.

 

 

E você, já conhecia o Google Shopping? Gostou das possibilidades que ele pode oferecer à sua empresa? Não há dúvidas de que ele é uma das ferramentas mais eficazes para vender na internet. Se você gostou do texto e quer receber mais conteúdo assim, acompanhe-nos nas redes sociais! Você pode encontrar a WEBi no Facebook e no Instagram!