SEO – melhores práticas para 2019

Postado em 16 de janeiro de 2019 por Agência WEBI na categoria Blog

Como a WEBi já te contou em artigos anteriores, o sistema de ranqueamento do Google vem mudando bastante nos últimos anos e em 2019 pretende “radicalizar” de vez, separando “os homens das crianças”.

Tudo o que você sabe sobre SEO… pode pegar e jogar no lixo! “Arrãhn”, te pegamos! Calma… calma… brincadeirinha! 😉

A forma de gerar conteúdo de qualidade e relevante não mudará muito. O que mudará na verdade é a adaptabilidade das plataformas, mobiles e desktop, aos conteúdos gerados, tendo em vista as novas demandas dos usuários – responsividade x bom conteúdo. É apenas uma questão de mudança de hábito do consumidor.

 

“O comportamento acompanha a evolução tecnológica e exige novos dispositivos, capazes de consumir o conteúdo gerado”

 

Para irmos direto ao ponto e deixarmos o blá blá blá de lado, porque não temos tempo a perder [estamos em 2019, né?], separamos as principais tendências em SEO que farão toda a diferença no seu projeto de marketing digital.

 

Topa saber? Vem conosco! #vemprawebi

 

Google Mobile First Index

A WEBi, de maneira didática e precisa, apresentou – em seu último artigo – os conceitos fundamentais do Mobile First Index, requisitos necessários para você se manter bem ranqueado e ajustes que precisam ser realizados para que suas mídias não saiam do “radar’ dos usuários.

Basicamente, o Google Mobile First Index é a nova forma de o Google indexar conteúdo. A análise de responsividade acontecerá agora nos sites mobiles, que – necessariamente – terão que apresentar: velocidade, acessibilidade, experiência e conteúdo. Tudo isso em sintonia.

Aquela história de existir dois ranqueamentos distintos, sem a interferência de um ao outro, acabou. Em 2019, plataformas móveis e fixas precisarão trabalhar em equipe, em sinergia. A estrutura responsiva que funciona para uma terá que funcionar – também – para outra.

 

Então, o que precisamos saber para não perder posições na tão acirrada disputa – são:

1- Simetria, o famoso espelhamento, de conteúdos (textos, imagens, vídeos, etc.) em todas as mídias. O que carregar bem no desktop precisará também rodar no mobile. Simples assim.

2- Se o seu site apresentar duas versões diferentes, será importante incluir metadados (título e descrição).

3- Não dá apenas para acessar o site (desenvolvido para desktop) por dispositivos móveis e achar que ele se comportará da mesma maneira que na versão original.

 

A programação e dados serão estruturados para as duas versões. Com igualdade de objetivos.

 

Snippets vs. SEO

Uma coisa que poucos sabem, mas que é de fundamental importância conhecer para manter o bom desempenho do site ou, quem sabe, subir no ranking de busca orgânica é o snippet.

Snippet é nada mais, nada menos, que a resposta destacada localizada acima do primeiro resultado da busca orgânica. Por essa razão, o snippet é denominado de “posição zero”.  

Uma vez sendo a posição mais nobre de qualquer busca orgânica – em 2019, o snippet será o “carro-chefe” das melhores estratégias de SEO.

Não é coincidência que, via de regra, quem geralmente ocupa a posição snippet está entre os 5 primeiros resultados da busca orgânica (Search Engine Results Page). E melhor ainda, pesquisas apontam que aproximadamente 31% dos snippets ocupam os primeiros lugares das buscas.

 

A conclusão é simples: é super estratégico ocupar a posição do snippet porque gera para a publicação muitos mais views e cliques. E se o conteúdo for de qualidade e elaborado utilizando as principais técnicas de SEO, melhores resultados o post atingirá.

 

É importante ressaltar: quem ganha a batalha pelo snippet, de certa forma [a afirmativa não representa 100% da verdade] é autoridade no assunto.

 

O conteúdo de qualidade que tanto falamos

A WEBi sempre bateu nessa tecla em seus posts e artigos. Há 20 anos no mercado, cria estratégias de inbound marketing para grandes empresas catarinenses e de outros estados.

Precisamos saber que não existe bom ranqueamento e, por consequência, ótimos resultados se o site e as mídias que a empresa utiliza não gerarem conteúdo com qualidade e de relevância para o seu público. É por meio de conteúdo preciso, relevante e com boa estrutura de SEO que plataformas responsivas ativarão os algoritmos dos mecanismos de busca.

Os algoritmos, a partir de agosto de 2018, sofreram uma grande atualização, o que refletiu na perda de relevância de muitos sites com baixo EAT (expertise, autoridade e confiabilidade) nos mecanismos de busca.  

Essa nova linguagem – baseada em inteligência artificial – passou a “interpretar” todo o conteúdo veiculado na rede. Se a internet, agora, é capaz de entender o que tá sendo escrito, nada mais natural que classificar a produção e ranqueá-la, conforme sua relevância para o consumidor.

 

Busca por voz

Agora, vamos a um dado que além de curioso é interessante: um estudo do Google concluiu que 55% dos adolescentes e 41% dos adultos fazem – diariamente – buscas por voz.

Se pararmos para pensar friamente, ratificaremos o estudo citado acima. Em meio a toda essa agitação do nosso dia a dia, onde estamos cada vez mais imersos em nossas responsabilidades profissionais e problemas com a falta de tempo, a busca por voz se tornou a principal aliada na gestão do tempo das pessoas.

Hoje, a grande maioria dos users se sente mais confortável ao realizar suas pesquisas por voz. Primeiro, porque precisa. Ganhar tempo realizando um menor número de tarefas é primordial. Segundo, as tecnologias se tornaram tão responsivas e confiáveis que eliminaram o medo do consumidor de usar a ferramenta.

Naturalmente, para que tudo isso seja possível, boas estratégias de SEO devem constar no background da interface – site responsivo x conteúdo de qualidade.

 

Algumas dessas estratégias são:

1- Otimizar conteúdo e mídia para buscas locais. Segundo estudo da Bright Local, quase metade das buscas realizadas por voz são por negócios locais.

2- Muitos users em suas pesquisas diárias procuram a seção: perguntas e respostas – a famosa Frequently Asked Questions.

 

Para isso [dica WEBi]: construa uma boa página no seu site contemplando todas as dúvidas apontadas por visitantes e clientes.

 

Quanto mais completa, melhor. Você responderá a todas as dúvidas de potenciais clientes, gerando assim, mais views e cliques organicamente.

 

Quem sabe disponibilizar um fórum de discussão para coletar todas essas dúvidas não seria uma boa alternativa?

 

3- E a grande, porém óbvia, estratégia é: desenvolver sites mobiles responsivos e otimizados. Só dessa maneira que a busca por voz será eficiente.

Sem sites rápidos e ágeis que disponibilizam conteúdo atrativo, atentos às estratégias de SEO, você não terá êxito em suas ações quando as buscas por voz pretenderem o seu serviço ou produto.

 

Experiência do Usuário

Já sabemos que a inteligência artificial aplicada aos novos algoritmos do Google permite que os mecanismos de busca compreendam o conteúdo publicado.

Da mesma forma, o RankBrain “interpreta” o comportamento humano no que diz respeito à experiência dos usuário frente às plataformas e suas entregas.

É outro critério que o Google observa na hora de ranquear os resultados de buscas orgânicas. Fique atento!

 

A WEBi acabou de apresentar algumas práticas de SEO que bombarão em 2019. Responsividade, conteúdo de qualidade, experiência do usuário e sites mobiles otimizados serão os grandes heróis das estratégias de SEO vitoriosas no ano. Se liga! #vemprawebi

Sabemos que uma empresa para ter sucesso e ser competitiva em sua área de atuação é necessário ter uma boa estratégia de inbound marketing e contar com a expertise de um parceiro que está há 20 anos no mercado, transformando visitas em oportunidades de venda.

 

Esse parceiro é a WEBi!

 

E você, #tmj ou não? “Bora” criar uma máquina de vendas para a sua empresa utilizando as melhores práticas de SEO do mercado? Fica tranquilo, a WEBi te ajuda a chegar lá! Afinal, temos super poderes, não é?!

 

Liga “pra” gente, vai! Os nossos Heróis já estão na Sala da Justiça te aguardando. Quem sabe você não ganha poderes de super-heróis também? 😉